Rateio de curso TRF

Rateio de curso para o concurso TRF - Tribunal Regional Federal

O Concurso TRF é realizado para cargos em níveis superior, médio e técnico. Ao conquistar aprovação e ocupar os cargos, o profissional que toma posse do cargo oferecido recebe salários e benefícios muito atrativos. No entanto, ser aprovado não é uma tarefa fácil, pois este é um concurso que exige muita dedicação nos estudos.

Por esse motivo, é importante se preparar com o melhor material de rateio RTF, a fim de garantir que estará estudando os conteúdos necessários e que mais caem na prova.

Confira a seguir como funciona o concurso público do Tribunal Regional Federal (TRF), quais as exigências, o melhor material de rateio de concurso, dicas de como estudar e outras informações essenciais sobre o assunto.

3 Rateios de cursos para concursos

Rateio de cursos Bacen
Rateio de cursos PF
Rateio de cursos PRF

O que é TRF?

TRF é a sigla para Tribunal Regional Federal. Ao todo, temos cinco destes tribunais espalhados por regiões no Brasil. Os tribunais são órgãos que pertencem ao Poder Judiciário, como previsto na Constituição de 1988.

Cada tribunal regional federal é composto por sete juízes, que devem ser brasileiros natos ou naturalizados, além de concursados. Há casos em que encontramos mais juízes nos tribunais, pois há os que ocupam cargos como substitutos.

O TRF serve para representar o 2º grau de jurisdição de justiça, que julga e processa os recursos que estão contra a decisão da competência federativa, como exemplo, casos de rés, autarquia, empresa pública federal, União, etc.

Quem atua no TRF?

Para atuar no TRF é preciso prestar concurso público e ser aprovado com nota igual ou superior à de corte (depende do score de cada candidato), atender aos pré-requisitos de cada cargo oferecido, entregar a documentação adequada e possuir grau de instrução de acordo com a vaga e o edital.

No TRF atuam diversos profissionais, como juízes, desembargadores, analistas e técnicos das áreas de Direito, Tecnologia da Informação, Segurança do Transporte, Administração e Informática, entre outros.

Qual a formação dos servidores do TRF?

Confira a seguir quais as principais formações dos servidores do TRF, de acordo com o cargo a ser ocupado:

Analista Judiciário – Especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal

Para atuar como Oficial de Justiça nesta categoria, é preciso possuir diploma em Direito, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Analista Judiciário – Área Judiciária

Para atuar como Analista Judicial, o profissional deve ter diploma em Direito também reconhecido pelo MEC.

Área Apoio Especializado – Especialidade Infraestrutura em Tecnologia da Informação

Para atuar nesse cargo, é necessário possuir especialidade em Tecnologia da Informação com certificados ou diploma reconhecido pelo MEC, comprovando a carga horária de no mínimo 360 horas, além de diploma no ensino superior em qualquer curso ou somente ter cursado a faculdade de TI.

Desembargador, Juiz Federal e Juiz Substituto

Para atuar como desembargador ou Juiz do TRF, é preciso ter concluído a faculdade de Direito há três anos, além de ter exercido a profissão durante três anos depois da formação, e apresentar certidões ou documentos para comprovação.

Técnico Judiciário – Área Administrativa – Especialidade Segurança e Transporte

Para preencher a vaga, a formação exigida é ter concluído o ensino médio e possuir CNH – Carteira Nacional de Habilitação (categoria D).

Técnico Judiciário – Área Administrativa

Técnico administrativo é um cargo mais básico, oferecido pelo TRF, sendo  necessário ter concluído o ensino médio e possuir certificados ou diploma na área Administrativa.

O que é o concurso do TRF?

O concurso do TRF é um processo seletivo que avalia a capacidade e o nível de conhecimento dos candidatos, para que possam ocupar os cargos públicos oferecidos pelo órgão do Poder Executivo do país.

Quais os cargos do concurso do TRF?

  • Analista Judiciário – Área Judiciária;

  • Analista Judiciário – Especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal;

  • Analista judiciário — Especialidade em Sistemas da Tecnologia da Informação;

  • Área Apoio Especializado – Especialidade Tecnologia da Informação;

  • Desembargador;

  • Juiz Federal e juiz substituto;

  • Técnico Judiciário – Área Administrativa;

  • Técnico Judiciário – Especialidade Segurança e Transporte;

  • Técnico judiciário  – Especialidade em Tecnologia da Informação;

Quem pode fazer o concurso do TRF?

Para fazer o concurso do TRF, é preciso possuir idade superior a 18 anos, estar com as obrigações eleitorais e civis em dia, apresentar o certificado de reservista (homens), possuir diploma nas áreas oferecidas, atingir a pontuação de corte das provas do concurso para conquistar aprovação, realizar a inscrição dentro do prazo e efetuar o pagamento da taxa.

Além de atender os demais requisitos presentes nos editais de cada concurso, como exemplo o de juízes e de desembargadores, que precisam ter exercido a profissão por no mínimo 3 anos depois de concluir a faculdade.

Qual o salário do concurso do TRF?

O salário do concurso do TRF é muito atrativo, mas os valores variam de acordo com o cargo a ser preenchido. Confira a seguir qual é a média salarial, de acordo com o nível do cargo de posse:

Nível superior

  • Analistas

O salário inicial de Analista Judicial é de R$ 12.455. No entanto, o mesmo pode receber acréscimos, como é o caso das gratificações que variam entre R$ 1,8 mil e R$ 7 mil.

  • Desembargadores e Juízes

Ao preencher o cargo efetivo, o salário inicial para cada cargo é de:

  • R$ 35.462 para desembargador;

  • R$ 33.689 para juiz federal;

  • R$ 32.004 para juiz substituto.

Nível médio/técnico

O salário inicial para quem atua no TRF como profissional de nível médio/técnico é de R$7.591, podendo receber acréscimos de gratificações, de acordo com desempenho, certificações e títulos adquiridos após a posse, nos valores entre R$ 1 mil e R$ 4 mil.

Como é a carreira no TRF?

O avanço de carreira no TRF é categorizado por classes (A, B, C, 13 padrões), que variam de acordo com o grau do cargo (superior, médio e técnico, entre outros). Além disso, o servidor pode ser movimentado dentro da classe ou conquistar a promoção para uma maior.

De acordo com a lei 11.416/2006, a movimentação do servidor acontece quando passa de um padrão a outro, dentro da classe em que está inserido, desde que atenda aos critérios do regulamento, além de apresentar os resultados na avaliação de desempenho.

No caso da promoção, o servidor vai de uma classe a outra quando é demonstrado e comprovado o seu desempenho em relação ao ano anterior, por exemplo, além de respeitar os critérios e obter ótimos resultados na avaliação formal, participação em cursos ou faculdades para aperfeiçoamento, entre outros.

Caso conquiste a movimentação ou promoção, um analista judiciário, por exemplo, pode estar recebendo um salário superior a R$ 18 mil, incluindo a Gratificação de Atividade Judiciária.

Quais os benefícios de ser servidor do TRF?

Os benefícios de ser servidor do TRF é um dos motivos que faz com que prestar o concurso vale à pena. Confira a seguir quais são eles:

  • GAJ - Gratificação de Atividade Judiciária;

  • AQ - Adicional de Qualificação por Títulos (graduação, especialização, mestrado e doutorado);

  • AQ - Adicional de Qualificação por Treinamentos (De acordo com o número de horas, por exemplo, 240 horas e 360 horas);

  • GAS - Gratificação de Atividade de Segurança;

  • GAE - Gratificação de Atividade Externa;

  • Auxílio Alimentação;

  • Auxílio saúde;

  • Indenização de Transporte;

  • Auxílio moradi (cargos superiores, como no caso de desembargadores e juízes).

  • Carga horária de 40 horas semanais.

Servidor do TRF pode ser demitido?

O servidor do TRF se torna estável, podendo ser exonerado somente em casos mais graves, que categorizam a demissão por justa causa, como fraudes e abuso de autoridade.


Exibindo de 1 a 5 do total de 5 (1 páginas)
Atendimento Via Whatspp
Estamos Online 24h